Friday, September 04, 2009

A caminho

Com a distância e as conversas no msn inexistentes - e eu confesso que nao sou boa nisso - passaram jantares de turma aos quais não pude ir, outros para os quais já nao fui convidada porque a distancia ditava uma falta concerteza. Vieram os casamentos aos quais eu não pude comparecer, vieram as histórias pouco privadas nas quais eu não tive papel, risadas pessoais, piadinhas. Vieram os filhos deles, momentos em que eu não estive lá para levar uma flor, filhos esses que não vi/vejo crescer. Aconteceram os namoros passageiros, as curtes das quais eu nunca soube, aquele dia em que ele/a bebeu demais, não se conteve, e contou aquele segredo parvo. Houveram idas á praia, descidas de rios, noites latinas.. e eu não estive lá. As ferias juntos, aquele festival e aquela passagem de ano. Aconteceram tambem coisas tristes, momentos de dor que eu não partilhei e lágrimas que a distância secou. Vidas que nestes 7 anos continuaram.

Á medida que o tempo passa sinto que perdi o Portugal que construí em tempos, desvaneceu-se-me por entre os dedos. Foi o meu trilho que o condenou, mea culpa, que também eu me afastei.

Continuo a perguntar-me de vez em quando “o que sou, e para onde vou?”

7 comments:

cristina said...

O primeiro parágrafo poderia ter sido escrito por mim... cada letra, cada virgula ou ponto final...

perdeste tudo isso, mas certamente que o que ganhaste é muito enriquecedor.

nem sempre podemos caminhar na vida com todo o nosso coração junto. é injusto.

Tuga em Londres said...

Mas passaste a ter outros momentos, conhecer outras pessoas, ter outras experiências. infelizmente não se pode ter tudo mas quando algo se perde outra coisa se ganha

Cromossoma X said...

Sim meninas, é verdade. Ficam outras experiências para contar :)

Nâo me arrependo. Afinal, fui eu que assim o decidi.

Lua said...

O primeiro podia ser escrito por qualquer um que deixa uma vida, as you know it, para trás.

Agora o segundo, esse sim, podia ter sido escrito por mim. Foram essas as palavras que a minha mãe, lavada em lágrimas, me disse há uns dias.

Porque eu me afastei. E não há volta a dar a isto...

Nem sequer te digo o que ganhaste porque dizer-to seria condescendente, acho. Digo-te apenas que tens outra vida e que desde que esta te seja mais importante (não interessa de que ponto de vista), isto é o que interessa.

travellersoul said...

Claro que as novas vidas trazem sempre imensas alegrias, mas principalmente a descoberta de pessoas/mentalidades que nunca teriamos conhecido no nosso Portugal.

Mas sim, doi perceber que a vida que tinhamos la ja nao existe e tambem eu fico as vezes sem saber muito bem onde chamar "casa".

Pinguina said...

Quando vim para ca, vim com a ideia de ficar dois ou tres anos, ja la vao sete e mesmo perdendo as mesmas coisas que tu ganhei muitas mais tambem. Contigo nao e diferente! O que ainda continua a ser muito dificil sao as despedidas no aeroporto...

Cromossoma X said...

pinguina, 7 anos? benvinda ao clube :)