Thursday, October 09, 2008

5 meses depois volto a casa.

É muito tempo, demasiado tempo para quem sofre(u) e precisa(ou) tanto de um regaço de uma mãe. Nunca me doeu tanto, nunca voltei assim, com coração a pesar toneladas. Só eu sei a pedra que trazia comigo.

Agora flutuo. Os relógios por aqui batem a um ritmo lento de vida madorna. Faça chuva ou faça sol, o sossego. O que sou por aqui não consigo sê-lo em mais nenhum lugar do mundo, e no entanto, não pertenço aqui. Aproveito-me e abuso desta calma, deste ritmo lento, para me encontrar; eu, que como já disse, não sou daqui. Tomar enche-me sempre e deixa-me sempre vazia. Um contraste tão grande, será que alguém entende este amar/repulsar aldeão?

Não quero sequer pensar no meu lab. Não quero falar a ninguém do que faço, não quero sequer que me perguntem quem sou. Deixem-me ser uma de vós, passar imune. Eu quero absorver todo este deambular lento que por aqui existe.

10 comments:

Lua said...

De calma precisas mesmo.

Os silêncios trazem pensamentos que são postos de lado pelas correrias da vida. Algo que tu sabes muito bem fazer - correrias!

Terias de pensar, parar para pensar, mais cedo ou mais tarde. Espero que por estares ao pé dos teus, a tarefa te seja mais simples.

Beijinhos grandes e fica bem! Encontra-te lá porque eu ainda quero ir NY :)

Músico Guerreiro aka Melões said...

O titulo diz tudo. Voltas a casa.
Beijos

@me@@@ said...

adorei este post, super profundo!!!

:-)

diana said...

gostei mt bem deste post!

espero k descanses. aproveita bem os miminhos da mae e irma!


aproveita a lentidao da terrinha pr voltares ainda com mais energia pr as correrias de londres:)

beijinho xuxu
xx

até amanhã

Edelweiss said...

como te entendo!!
Portugal é a nossa terra mas o local onde mais nos sentimos estrangeiros. assim que chegamos o coração aperta e tao rapidamente nos cansamos porque de facto acaba por nao ser já o nosso mundo. o que sabemos é que nos reconforta. nos faz renascer... e sabe tão bem. voltar a sentir o frio de inverno. o cheiro a chuva. o sabor da primavera... ( falo por mim que aqui não tenho nada disso).
No fundo a nossa terra é onde está o nosso coração.. o teu em londres o meu na asia.. mas portugal será sempre a nossa casa!
e eu já não vou lá ha mais de um ano...
beijos

Anonymous said...

Gostei do café desta tarde em Lx,
o tempo passou sem consciência...

Gostei de te ver, "igual a ti mesma", claro que se muda sempre um tanto, no teu caso até acho que cultivaste todas as qualidades que já tinhas... e esse sorriso é o "teu" de facto, gostei de te ver feliz...

O tempo passou entre nós, mas não parecia, enquanto nos ríamos a empatia mantinha-se como noutros tempos.

Bem, mas ja chega de tanto elogio lol

Que mais encontros destes se repitam no futuro.

Bj

DM

[Cassandra] said...

És de Tomar? Conheci Tomar pela primeira vez este ano. É uma cidade muito bonita e cativante. Fiquei com boas recordações, até porque estive em boa companhia, de gente boa e calorosa.
Just in case, conheces alguém da família.. Bernardino?:)

Cromossoma X said...

lindos,
obrigado pelas vossas palavras...!!estou de volta a Londres e ao meu ritmo (hoje ainda em slow motion...). A emissão normal retoma já, já...

[Cassandra] said...

O nome que referiste não me diz nada. Tenho é um amigo que tem o tal apelido, mas ele também é de uma aldeia de Tomar.

Ainda tirei umas quantas fotos bonitas da cidade. E senti-me muito calma lá. Foi fixe!
Já pensei em fazer um patchwork de fotos bonitas de vários locais do país e colocá-lo na parede para iluminar a sala cá em casa com o cheirinho de Portugal. ehehe
Sou uma saudosista!

cris said...

yap, eh estranho e contraditorio chegar/estar de volta a Portugal. lembro-me q das primeiras vezes tinha a sensacao de q era turista na minha pp casa, q olhava para as minhas coisas de sempre como quem olha para objectos num museu. mas isso passa assim q nos metemos num aviao de volta. ou q conseguimos jantar com aqueles/as amigos/as, pouquinhos, para quem a distancia fisica nao muda quase nada.

bom post, este.