Thursday, January 24, 2008

Lamechas e piegas, assim.

Esta manhã enquanto caminhava ouvia no mp3 aquela música que já foi nossa.
Lembro-me de me chamares com os teus olhos brilhantes:
Anda, quero mostrar-te uma coisa!
E eu ouvi-a, daquela forma tonta e confusa como se ouve uma música pela primeira vez, e percebi porque querias que a ouvisse.
E eu soube, como tu sabias porque significava tanto para nós.
Agora a nossa música já rodou e fui prostituida pelas rádios, significou outras coisas de dimensões obtusas para outros amores… ou paixões.
Mas ainda me lembro daquela primeira vez em que a partilhávamos e sorriamos cúmplices porque “sabíamos que iamos inventar juntos” aquele futuro, assim.

Esta manhã (como sempre, só talvez com um pouco mais de emocão) tive saudades tuas.

2 comments:

Rosa said...

Não sei se concordas, mas eu acho que há saudades boas... Percebes?

Miss Xangai said...

been there, done that!

usa as saudades como algo positivo.Acredita que e possivel.Porque ninguem teve o que tu tiveste e muito mais vira.