Friday, July 18, 2008

O que gostava que me tivessem dito enquanto era tempo e não mo disseram.

O Amor é um estado de alma. Sente-se e vive tão depressa como a chama que já te queimou. E tão triste e tão verdade. Não se alimenta nem se resurgita, não se define ou entende. Não te merece. Não se merece. Sentes que não o mereces. Esmaga-te e eleva-te tão alto, tão alto, tão alto para te deixar cair com estrondo. Pulha.

4 comments:

A.S. said...

Bom regresso, Sónia!

Lua said...

Amén. :(

Restelo said...

Agora tens é de te animar

[anna_pacheco] said...

digo-te [sem suspeitar o que se tenha, entretanto, passado] o que aprendi nos meus próprios estrondos... Dói. Pois dói. Mas nada nem ninguém poderá determinar com maior sagacidade as tuas próprias vontades, do que tu própria... Torga escrevia... Recomeça.../Se puderes,/Sem angustias e sem pressa... o mundo espera por ti, Sónia. E que tu continues a encontrar o mundo!;)
Um forte abraço e um beijinho,
Ana